top of page
  • Foto do escritorGuinefort

Minicurso - Olhares sobre a Antiguidade: Documentação e Historiografia

banner do minicurso Olhares sobre a Antiguidade: Documentação e Historiografia

A Idade Antiga ou Antiguidade, ao menos desde a cientificização da História durante o século XIX, tem sido definida e enquadrada, conforme a tradicional quadripartite histórica, enquanto um período histórico demarcado precisamente, em suas escalas espaciais e temporais, pela emergência e estruturação social, cultural, política, econômica, das chamadas Civilizações Clássicas e do Oriente Próximo, especialmente, as sociedades gregas, romanas, egípcias e mesopotâmicas.

Para a Historiografia Tradicional, se trata, portanto, de um longuíssimo período histórico que abarcaria os “processos civilizatórios”, ocorridos após a chamada “Revolução Neolítica”, quando uma gama de civilizações paulatinamente passa a se desenvolver inicialmente nos espaços orientais, Égito e Mesopotâmia, e a posteriore, nos espaços ocidentais europeus, Grécia e Roma, a partir do século VI-V a.C.

            Entretanto, os novos paradigmas epistemológicos, especialmente o campo da Antiguidade Tardia, a História Global, os Estudos Decoloniais e a Afrocentricidade, dedicados aos estudos da Antiguidade têm procurado problematizar os caracteres impostos por essa Historiografia Tradicional em torno da Idade Antiga, visando, sobretudo, a quebra de um possível “eurocentrismo civilizatório” existente nas abordagens espaciais e igualmente as escalas temporais de natureza linear e evolucionista, a fim de contemplar as agências e contribuições ativas de sociedades oriundas de outros espaços mediterrânicos não-europeus, como a Ásia e a África, na Antiguidade.

            Tendo em conta estas considerações iniciais, o presente curso de extensão, Olhares sobre a Antiguidade: Documentação e Historiografia, objetiva estabelecer uma série de diálogos sobre importantes e diversificadas problemáticas relativas as estruturas sociais, culturais, politicas, militares, etc, que engendravam as sociedades da Antiguidade, a partir do cotejamento não somente do material bibliográfico produzido pelos antiquistas, como também, das fontes documentais produzidas em meio a Idade Antiga.

            Para tal, o prof. Dr. Rafael Costa Prata trará não não somente das abordagens historiográficas oferecidas pelos antiquistas que engendravam a Historiografia Antiga Tradicional, como também, abordaremos os impactos e as influências produzidas pelos novos paradigmas epistemológicos, emergentes nas últimas décadas, em torno dos estudos da Antiguidade.

            O curso de extensão contemplará quatro temáticas diversificadas:

  • (20/03/2024) - A Escravidão na Sociedade Romana: definições e significados.

  • (27/03/2024) - A África na Antiguidade: diálogos com a Afrocentricidade.

  • (03/04/2024) - A Escrita da História na Antiguidade: Uma “História Moral” da Política e da Guerra.

  • (10/04/2024) - A História Global e o Mediterrâneo Antigo: possibilidades epistemológicas.

Comments


bottom of page